A Doença do Fanatismo

Caros leitores, 


Na reunião de hoje, quarta-feira dia 22/08/2018, repassamos o tema que segue:


A Doença do Fanatismo

A Psiquiatria explica o fanatismo?



Procurar ajuda de profissionais é muito importante, inclusive com ajuda dos familiares.

…Do ponto de vista psicopatológico, todo fanatismo tem relação com a fuga da realidade…

…O fanatismo surge de uma estrutura psicótica. O fato do sujeito se ver como o único que está no lugar de certeza absoluta, de ter sido escolhido por Deus para uma missão ‘x’, já constitui sintoma suficiente para muitos psiquiatras diagnosticarem aí uma loucura ou psicose…

…Fanático é quem não muda nunca de opinião nem de assunto… esse sentimento extremado é um distúrbio psicológico e é diagnosticado quando a pessoa age apenas com a emoção, sem usar a razão antes de decidir o que fazer. É difícil para o fanático perceber que passou do limite por conta do traço irracional que prevalece: o radicalismo… Personalidade radical, pessoa que mal ouve a opinião do outro, não consegue discutir argumentando com os amigos e sempre usa a emoção para decidir as coisas… dado à doença, fica vulnerável à manipulações de oportunistas… “

Leia mais:

“A crença cega ou irracional parece loucura quando se manifesta em momentos ou situações específicas, porém se sua inteligência não está afetada, o fanático aparentemente é um sujeito normal. No entanto, torna-se um ser potencialmente explosivo, sobretudo se o fanatismo se combinar com uma inteligência tecnologicamente preparada. Fanático inteligente é um perigo para a civilização.

O terrorismo, por exemplo, que atua com a única meta de destruir inimigos aleatórios é realizado por indivíduos fanáticos cuja inteligência é instrumentada apenas para essa finalidade. No terrorismo é uma das expressões do fanatismo combinado com uma inteligência tecnológico, mas totalmente incapaz de exercitá-la por meios mais racionais, políticos e legais. Para o terrorismo sustentado no fanatismo, os inocentes devem pagar pelos inimigos; a destruição deve ser a única linguagem possível e a construção de um novo projeto político-econômico, não está em questão, porque a realidade no seu todo é forcluída.

O fanatismo parece surgir de uma estrutura psicótica. O fato do sujeito se ver como o único que está no lugar de certeza absoluta, de “ter sido escolhido por Deus para uma missão “x”, já constitui sintoma suficiente para muitos psiquiatras diagnosticarem aí uma loucura ou psicose. Mas, seguindo o raciocínio de Freud, vemos que “aquilo que o psicótico paranóico vivencia na própria pele, o parafrênico experiência na pele do outro”, ou seja, somos levados a supor que o fanatismo está mais para a parafrenia que para a paranóia.

Hitler, antes considerado um paranóico, hoje é mais aceito enquanto parafrênico, pois seus atos indicam sua idéia fixa pela supremacia da raça ariana e a eliminação dos “impuros”; mais ainda, o gozo psíquico do parafrênico não se limita “ser olhado” ou “ser perseguido”, tal como acontece com paranóicos, mas sim se desenvolve “uma ação inteligente de perseguição e extermínio de milhares de seres humanos”, donde extrai um quantum de gozo sádico. Portanto, deve existir membros de um grupo de fanáticos paranóicos, mas certamente o pior fanático é o determinado pela parafrenia, pois visa de fato destruir em atos calculados “os impuros”, “os infiéis”, enfim, todos os que não concordam com ele.”

Desvio paranóico. 

“Mas Churchil tinha uma definição muito boa de fanáticos, e olha que ele lutou contra os nazistas, que eram, na sua época, o que esses daqui são na nossa. 

Dizia o primeiro ministro da Inglaterra:

Fanático é quem não muda nunca de opinião…..nem de assunto ! 

Repare que o assunto é o mesmo, sempre sempre sempre.., 

Toda obsessão deles esvazia o argumento , qualquer seriedade que possa haver crença deles, se perde com a pratica do fanatismo e da obsessão. 

E eles se tornam apenas alvo de chacotas, atraem todo insulto, atiram próprio pé, sempre, sempre. 

Não conseguem construir nada de bom, no máximo constroem um castelo que é semelhante ao castelo do deputado Edmamar Moreira, um castelo feito de farsas, de mentiras, feito para encobrir trapaças. 

Um castelo vazio, feito fora do tempo de construir castelos, revelando a quimera da vida deles. 

E ficam lá , das torres de vigia , gritando como alucinados os impropérios contra quem está aqui , no dia a dia, vivendo a vida e morrendo de rir, do castelo e dos bobos da corte fazendo suas patetices. 

É , seriam cômicos, se não fossem trágicos.”

(Fonte: https://br.answers.yahoo.com/question/index…)

“Sentimentos persistentes de tristeza, angústia ou de vazio.

Perda de interesse ou prazer nas atividades, incluindo sexo.

Sentimentos de culpa, desesperança ou pessimismo.

Irritabilidade ou perda de paciência.

Cansaço, fadiga ou falta de energia.

Dificuldades de concentração ou para lembra de pequenos detalhes.

Dificuldade de tomar decisões, insegurança.

Insônia, sono fragmentado ou sono não restaurador.

Sonolência diurna.

Excesso ou redução do apetite.

Pensamentos sobre suicido.

Dores persistentes que não melhoram com o tratamento. Incluindo dores de cabeça, pelo corpo e no estômago.”

(Fonte: http://www.bancodesaude.com.br/…/investigando-fanatismo-rel…)

“Segundo a psicóloga Ana Maria Franqueira, esse sentimento extremado é um distúrbio psicológico e é diagnosticado quando a pessoa age apenas com a emoção, sem usar a razão antes de decidir o que fazer. É difícil para o fanático perceber que passou do limite por conta do traço irracional que prevalece: o radicalismo.

Ana Maria afirma que esse é um traço patológico que se desenvolve ao longo do tempo e pode estar ligado a questões de baixa autoestima, falta de identidade. Segundo ela, é uma necessidade de ser melhor. O fanático faz isso se juntando a um grupo

Como tratar:

Primeiro a pessoa tem que identificar (pode ser com a ajuda da família ou dos amigos) se a paixão está passando dos limites. Depois, é feito um trabalho para fortalecer a autoimagem e mostrar para o paciente que ele não precisa se unir a um grupo ou usar de violência física para ser aceito.

Sintomas:

Personalidade radical, pessoa que mal ouve a opinião do outro, não consegue discutir argumentando com os amigos e sempre usa a emoção para decidir as coisas.”

(Fonte: http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/2010/06/saiba-os-sintomas-e-como-tratar-o-fanatismo.html)

Postagem por: Observatório Maçônico Cultural, 14 de agosto de 2016.


(Fonte: https://www.facebook.com/observatoriomaconicocultural/posts/323193924686279?__xts__[0]=68.ARAgIxauE6OAikjMdPAmakq0s6kxVdps3Z06Kdhd48KPr-fxonbRE4KwdBjRtZnoknX0-Ec6v5g0TM7ENvGbk-dF9AX4EVcM-69FQAgw1_M1F-HOLgdq4PKWg2vtmD0p3UopvM8&__tn__=C-R)

Paz Profunda!

————————————————————————————


.’.


* Responsabilidade escrita, revisão, edição – Discípulo Elias

* Digitação, revisão – Patricia Kelly Hasselmann

Fraternalmente,

Grupo Fraternidade EMC.

Trabalhando por uma Humanidade mais Feliz!

 

Esta entrada foi publicada em Cabala, Diversos, Palestras, Pesquisas e Estudos. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta