Reunião Semanal:  

Caros leitores, 


Na reunião de hoje, quarta-feira dia 14/06/2017, repassamos um tema em relação as reflexões da história da criação e a luz da Ciência, nossos pensamentos e ações.

Vaquinha no penhasco


A Luz da Ciência na História da Criação

Na história da Criação, a ciência afirma que depois da “autofabricação” de moléculas vivas capazes de duplicarem a si mesmas, elas “constituíram a si mesmas” em uma célula viva (tão pequena que não se pode ver a olho nu), e esta se tornou o material de construção básico para toda a multiplicidade de organismos vivos, incluindo as plantas, os insetos, os répteis, as aves, os animais e o próprio homem. 


Assim, todos os seres vivos teriam um antepassado em comum; a primeira molécula viva.

A ciência não pode explicar por que as moléculas autoduplicantes se combinaram para formar uma célula viva. Isso continua sendo um mistério para a ciência até hoje. A célula viva, segundo diz a ciência, se reproduz indefinidamente em bilhões de bilhões de formas diferentes. Essa é a base para a construção do universo visível. Como pode ser isso? Que impulso motiva tal duplicação? 


A ciência não pode dizer. Entrincheirada em sua própria cegueira, tem se limitado, e as pessoas com ela, a uma cegueira materialista. 


E agora, a primeira célula viva merece a plena atenção de qualquer um que esteja buscando seriamente a dimensão espiritual e a “Fonte Principal da Existência” . Isso porque a primeira molécula viva e a primeira célula viva são as primeiríssimas evidências de alguma atividade inteligente dentro da “matéria”, dentro do Universo.


Se os profetas de antigamente tivessem sido presenteados com a teoria da autoduplicação molecular, não teriam nenhuma dificuldade com tal “acontecimento mágico” e diriam que “Deus” fez as combinações químicas e as impregnou com vida. Porém, esta também não é a explicação correta.


Este antigo conceito religioso de um “Deus no alto”, “criando de longe”, é o que impede o cientista de avançar na direção de reflexões espiritualmente mais conscientes.

Portanto, apesar de a ciência parecer emancipada das velhas doutrinas, continua mentalmente atada e obstruída pelos temores de velhas proibições como no século dezenove. Ela adota suas ridículas teorias porque ainda não percebeu a “Realidade” de Nossa Fonte do Ser, por trás e dentro da molécula viva.


O primeiro traço mostrando sensatez e sensibilidade é a função da membrana que envolve a célula, fornecendo proteção e individualidade. Pense neste fenômeno “milagroso”. A célula absorve do ambiente somente o alimento selecionado através da membrana. Não só absorve o alimento correto, mas depois de nutrir-se ainda elimina o resíduo através da membrana permeável.


Você deve perguntar a si mesmo: como pode a membrana “puramente física” da célula, invisível a olho nu, “distinguir e selecionar” o alimento correto objetivando aumentar seu bem-estar e ter suficiente discernimento para desfazer-se da matéria tóxica não desejada? Você não vê um alto grau de propósito em toda esta atividade? Você pode acreditar que este propósito seja acidental? E o PROPÓSITO não é a grande marca da inteligência?


E mais: a membrana da célula continua a fazer esse trabalho de selecionar o alimento e descartar a matéria tóxica, em bilhões de bilhões de diferentes circunstâncias e condições relacionadas com a sobrevivência de diferentes espécies, em diversos ambientes.  Isso não é a evidência do PROPÓSITO que se mostra dentro de cada ação de cada espécie, sejam insetos, plantas, répteis, aves, animais ou seres humanos?


Não seria possível descrever o universo como o consistente e constante IMPULSO do PROPÓSITO tornado visível no reino da “matéria” visível? O espírito do PROPÓSITO é um elemento físico, ou um elemento da “consciência”?


E se você pode aceitar que o PROPÓSITO é um impulso inegável de criatividade por trás da EXISTÊNCIA, então pode passar para a próxima percepção: seu universo é a manifestação visível de “uma EVOLUÇÃO INTELIGENTE de causa e efeito” evidente na “matéria” viva. Pois se a célula viva pode selecionar o alimento correto e também eliminar o resíduo tóxico – esta simples atividade demonstra um conhecimento da necessidade de digestão e de eliminação de tal resíduo para assegurar a contínua saúde da célula. Isso não é uma clara indicação de uma EVOLUÇÃO INTELIGENTE de “Causa e Efeito”?


E mais – a Ciência diz que a célula contém um “núcleo” que poderia comparar-se ao cérebro humano, uma vez que transmite mensagens, e sua mais importante função é a de armazenamento de informação, a “livraria”, que contém não somente os detalhes que se relacionam com uma célula, mas também os do corpo inteiro no qual ela reside!


O fato é que ao investigar a célula a ciência descobriu que esta, em si mesma, parece ser um sistema de “mensagens” químicas, transmitidas de um modo proposital, inteligente e inteligível. 


Como poderia acontecer isso se as origens das moléculas da célula fossem apenas elementos químicos inanimados? Você poderia duvidar de que por trás de cada “mensageiro com uma mensagem a transmitir”, há um pensamento inteligente ou consciência? 


E o que pensar da precisão das mensagens transferidas de célula para célula para assegurar a precisão da duplicação exata de certas espécies durante milhões de anos?”


(Fonte: Cartas de Cristo)


* Responsabilidade escrita, revisão, edição – Discípulo Elias

* Digitação, revisão – Patricia Kelly Hasselmann

Fraternalmente,

Grupo Fraternidade EMC.

Trabalhando por uma Humanidade mais Feliz!

Esta entrada foi publicada em Cabala, Pesquisas e Estudos. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta